sábado, 2 de junho de 2012

0
- Mas queria uma coisa nas mãos agora.
- Você tem uma coisa nas mãos agora.
- Eu?
- Eu. 
— Caio Fernando Abreu.

Sabe aquele meu jeito frio? Ele derrete quando você chega perto. Sabe aquela minha memória fraca? Ela se torna forte quando o assunto é decorar as palavras que você me diz. Sabe aquele meu jeito desatento? Ele se concentra quando é pra te observar. Sabe essa coisa minha de esquecer as coisas com facilidade? Isso muda quando é pra lembrar de você a todo segundo. E sabe aquele meu Eu, tão eu? Ele se perde quando o assunto é você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário