terça-feira, 15 de maio de 2012

1
Sinto muita saudade — mas tem uma coisa dentro de mim me dizendo que o meu caminho é exatamente este, e que não posso nem devo tentar modificálo.
(Caio Fernando Abreu, carta a Zael e Nair Abreu)

Eu tenho medo de que você acabe me esquecendo nessas minhas saídas, nessas minhas ausências. Tenho medo de que se eu não ficar te lembrando toda hora que eu existo, você não faça questão de me ter por perto. Tenho medo de que eu tenha que ficar longe por um dia qualquer, e quando eu voltar você tiver desistido de me esperar. É só medo, insegurança e medo de novo. Medo de não poder ficar o tempo todo presente, medo de banalizar a minha ausência a ponto de você simplesmente se acostumar com ela.

Um comentário: